Fale conosco Adesão Login
X

Use seus dados para acessar

Esqueci minha senha

Acordo libera verba para aposentadoria acima do teto

Depois de prever o pagamento das aposentadorias atrasadas que superavam o teto do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Orçamento deste ano e ver essas mesmas despesas contingenciadas pelo governo, quando do anúncio do corte de R$ 50 bilhões do Orçamento, em fevereiro, o Ministério da Previdência Social finalmente conseguiu costurar um acordo com o Ministério da Fazenda. As aposentadorias, devidas a 131,1 mil pessoas que ganharam direito ao benefício entre 1991 e 2004 e cuja pensão deveria ser superior ao teto do INSS, começarão a ser pagas em 31 de outubro. Ao todo, a conta, de R$ 1,7 bilhão, será parcelada em quatro vezes – a primeira parcela atingirá as 68,9 mil pessoas que recebem até R$ 6 mil.
A segunda parcela, para 28,1 mil contribuintes cujo crédito vai de R$ 6 mil a R$ 15 mil, será paga no último dia de maio do ano que vem. As duas últimas parcelas serão depositadas nas contas dos beneficiários restantes, em 30 de novembro de 2012 e 31 de janeiro de 2013, para os que contam com crédito superior a R$ 15 mil.
O pagamento responde a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que entendeu que os valores que superaram o teto anual do INSS, entre 1991 e 2004, deveriam ser pagos pelo governo. A decisão do STF veio depois de ação impetrada pelos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul no Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF 3). Embora a decisão do TRF diga respeito apenas aos dois Estados, os efeitos da decisão serão estendidos a todo o país.
O acordo foi fechado em reunião ontem à noite, na sede da Advocacia-Geral da União (AGU), entre representantes da Previdência e da Fazenda. “Não digo que o parcelamento foi o acordo ideal”, disse o ministro da Previdência, Garibaldi Alves, “mas foi o possível a ser obtido em uma situação como essa”, afirmou, em referência à determinação do governo de apertar as despesas públicas em 2011. “Mas o governo foi sensível à nossa gestão, a presidente Dilma nos deu toda a cobertura para obtermos da Fazenda alguma proposta viável.”
No fim de 2010, a relatora-geral do Projeto de Lei Orçamentária (PLO) de 2011, senadora Serys Slhessarenko (PT), incluiu no texto a previsão de R$ 2 bilhões para “o atendimento de riscos decorrentes de demandas judiciais de natureza previdenciária”. O governo acatou a previsão de despesa e incluiu na Lei Orçamentária Anual deste ano o equivalente a R$ 2 bilhões como reserva de contingência para atendimento de demandas judiciais, além de R$ 440 milhões para “aplicação de decisão do STF acerca da aplicação do teto do Regime Geral da Previdência Social”.
Todas essas despesas estavam incluídas na rubrica “operações especiais”, no orçamento do Ministério da Previdência. As despesas, no entanto, foram cortadas pelo governo no fim de fevereiro. (João Villaverde – Valor Online)

Fonte:AssPreviSite

Notícias Recentes

Ação Solidária: sua doação em dobro

O Estado do Rio Grande do Sul enfrenta uma situação de calamidade pública que está mobilizando todo o País. A CSN está empreendendo diversas medidas para ajudar a população local. Se você quiser fazer parte desta rede solidária, poderá contribuir via PIX para a Fundação CSN. Para potencializar ainda mais esta iniciativa, a CSN irá […]

LER ARTIGO

Confira o Relatório Anual 2023 da CBS Previdência

Já está no ar o Relatório Anual 2023 da CBS Previdência. Nele, você encontra os principais resultados alcançados e os projetos que desenvolvemos ao longo do ano. Com linguagem simples, o documento apresenta detalhes sobre as iniciativas que realizamos para atingir os objetivos definidos no planejamento estratégico e para ajudar a fomentar a importância de […]

LER ARTIGO

Não deixe passar essa oportunidade

Aproveite o recebimento do abono para investir no seu futuro. Ao colocar uma parte do valor recebido no seu plano de previdência complementar, você: – Aumenta o seu saldo – Ganha um desconto no IR Quem faz a declaração completa do Imposto de Renda pode deduzir dos rendimentos tributáveis anuais as suas contribuições para a […]

LER ARTIGO

Nova corretora da CBS Previdência

Informamos que, a partir de 01/04/2024, a Fibra Corretora passará a ser a corretora da CBS Previdência. Isso significa que a Fibra ficará responsável pelos seguros que estão em vigor, pelas renovações e pelas novas contratações. Em Volta Redonda, o atendimento presencial continuará no mesmo local. Sempre que precisar, entre em contato com a Fibra […]

LER ARTIGO