Fale conosco Adesão Login
X

Use seus dados para acessar

Esqueci minha senha

Governo desiste de cobrar reajuste da Previdência

O governo federal desistiu de cobrar dos trabalhadores o valor adicional da contribuição previdenciária que deveria ser repassada aos cofres públicos por conta da mudança do índice de correção das aposentadorias e pensões acima do salário mínimo, que passou de 6,14% para 7,72% em junho. Também não haverá ressarcimento daqueles que pagaram a mais à Previdência.
Desde janeiro, as aposentadorias e contribuições foram corrigidas com base no reajuste de 6,14% – concedido por medida provisória em dezembro. O Congresso elevou o percentual para 7,72%, o que foi confirmado em 16 de junho pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Dessa forma, os aposentados e pensionistas receberam a nova correção e ficou definido o pagamento do valor retroativo (janeiro a junho) da diferença entre 6,14% para 7,72%. No entanto, ficou em aberto como seria feita a cobrança e devolução da diferença dos trabalhadores na ativa.

Quarta-feira (18), com a divulgação de portaria no Diário Oficial da União foi estabelecido que o novo percentual de reajuste do benefício será usado apenas para o cálculo das contribuições feitas a partir de 16 de junho de 2010. Ou seja, não haverá cobrança do valor adicional acumulado de janeiro a junho deste ano nem ressarcimento, o que pode levar a questionamentos de trabalhadores.

Com a mudança no reajuste dos benefícios previdenciários, passaram a pagar uma alíquota de 8% os trabalhadores que recebem até R$ 1.040,22. As pessoas com salário de R$ 1.040,23 a R$ 1.733,70 contribuem com 9% e os que recebem entre R$ 1.733,71 e R$ 3.467,40 pagam 11%. Antes, as pessoas com salários até R$ 1.024,97 contribuíam com 8%, as que recebiam entre R$ 1.024,98 a R$ 1.708,27 com 9% e as que ganhavam de R$ 1.708,28 a R$ 3.416,54 com 11%.

Não haverá acerto de contas de retroativo para pessoas que contribuíram a mais ou menos devido ao aumento dos valores das faixas. Por exemplo, não receberá ressarcimento uma pessoa que recebia até R$ 1.030 e pagava uma alíquota de 9% (R$ 92,70) e retornou à faixa da tributação de 8% com a atualização das faixas de pagamento. Esse trabalhador poderia ter restituição de R$ 61,30 – valor acumulado desde janeiro, sem a inflação do período.

Também existe a situação contrária. Como o teto de contribuição saltou de R$ 3.416,54 para R$ 3.467,40, as pessoas que pagam pelo máximo permitido teriam que repassar mais dinheiro para previdência porque o valor de contribuição subiu de R$ 375,81 para R$ 381,41. Ou seja, os trabalhadores teriam que transferir à Previdência Social mais R$ 5,56 ao mês, o que acumulado em seis meses soma R$ 33,57 – sem considerar a inflação do período. Esses valores serão perdoados.

Fonte:Jornal da Tarde

Notícias Recentes

Ação Solidária RS: sua contribuição fez a diferença!

Graças à generosidade de cada um dos colaboradores da CSN e dos aposentados e pensionistas da CBS Previdência, conseguimos arrecadar R$ 269.195,60 mil. Para potencializar ainda mais esta iniciativa, a CSN decidiu não apenas igualar, mas mais do que dobrar o valor doado, resultando em um montante total de R$ 900.100,00 mil. O recurso arrecadado […]

LER ARTIGO

Ação Solidária: sua doação em dobro

O Estado do Rio Grande do Sul enfrenta uma situação de calamidade pública que está mobilizando todo o País. A CSN está empreendendo diversas medidas para ajudar a população local. Se você quiser fazer parte desta rede solidária, poderá contribuir via PIX para a Fundação CSN. Para potencializar ainda mais esta iniciativa, a CSN irá […]

LER ARTIGO

Confira o Relatório Anual 2023 da CBS Previdência

Já está no ar o Relatório Anual 2023 da CBS Previdência. Nele, você encontra os principais resultados alcançados e os projetos que desenvolvemos ao longo do ano. Com linguagem simples, o documento apresenta detalhes sobre as iniciativas que realizamos para atingir os objetivos definidos no planejamento estratégico e para ajudar a fomentar a importância de […]

LER ARTIGO

Não deixe passar essa oportunidade

Aproveite o recebimento do abono para investir no seu futuro. Ao colocar uma parte do valor recebido no seu plano de previdência complementar, você: – Aumenta o seu saldo – Ganha um desconto no IR Quem faz a declaração completa do Imposto de Renda pode deduzir dos rendimentos tributáveis anuais as suas contribuições para a […]

LER ARTIGO