Fale conosco Adesão Login
X

Use seus dados para acessar

Esqueci minha senha

Governo já admite veto ao projeto de Paim

Para impedir um desequilíbrio ainda maior das contas da Previdência, o governo pretende vetar, se for aprovado como está, o projeto de lei do senador Paulo Paim (PT-RS) que acaba com o fator previdenciário. “A linha do governo, dependendo da matéria, será vetá-la, quando ela prejudica as contas públicas”, disse ontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega.
O governo tem defendido a aprovação do projeto substitutivo do deputado Pepe Vargas (PT-RS), que extingue o fator, mas cria uma fórmula de cálculo que leva em conta a idade e o tempo de contribuição. De acordo com o fator 95/85, os brasileiros só poderiam se aposentar com benefício integral quando a idade, somada ao tempo de contribuição, resultasse em 95 (homens), ou 85 (mulheres).
Essa proposta será levada a plenário quando o projeto de Paim entrar na pauta. Para evitar um desgaste maior com os aposentados, o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), assumiu o compromisso de pôr o assunto em pauta assim que acabar o debate do pré-sal. Mas os aposentados já disseram que são contra o substitutivo e querem a aprovação do projeto de Paim sem modificações.
Para o governo, esse cenário seria insustentável para as contas públicas. Segundo dados da Consultoria de Orçamento, Fiscalização e Finanças da Câmara, a alteração elevaria as despesas de R$ 2,530 bilhões em 2010 e de R$ 3,859 bilhões em 2011. “O governo está sempre preocupado quando se trata de gastos”, destacou Mantega.
A proposta de Paim foi aprovada na terça-feira pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e agora depende de apreciação do plenário. O governo decidiu deixar o debate seguir adiante, pois pretende apresentar o substitutivo de Vargas. Assim como Mantega, outros representantes do governo já disseram que, se projeto de Paim for aprovado, será vetado pelo presidente Lula para evitar um rombo nas contas públicas. A ideia, no entanto, é encurtar ao máximo esse impasse para reduzir o desgaste político às vésperas das eleições.
O projeto de Paim, além de extinguir o fator previdenciário, possibilita que o cálculo do benefício seja feito com base nas contribuições dos últimos três anos – o que favorece os aposentados, que podem, por exemplo, elevar a contribuição na véspera da aposentadoria. Atualmente, o fator faz com que o trabalhador permaneça mais tempo no mercado para receber o benefício integral. O valor do benefício é calculado pela média de 80% das melhores contribuições desde 1994.

Fonte:O Estado de São Paulo

Notícias Recentes

Ação Solidária RS: sua contribuição fez a diferença!

Graças à generosidade de cada um dos colaboradores da CSN e dos aposentados e pensionistas da CBS Previdência, conseguimos arrecadar R$ 269.195,60 mil. Para potencializar ainda mais esta iniciativa, a CSN decidiu não apenas igualar, mas mais do que dobrar o valor doado, resultando em um montante total de R$ 900.100,00 mil. O recurso arrecadado […]

LER ARTIGO

Ação Solidária: sua doação em dobro

O Estado do Rio Grande do Sul enfrenta uma situação de calamidade pública que está mobilizando todo o País. A CSN está empreendendo diversas medidas para ajudar a população local. Se você quiser fazer parte desta rede solidária, poderá contribuir via PIX para a Fundação CSN. Para potencializar ainda mais esta iniciativa, a CSN irá […]

LER ARTIGO

Confira o Relatório Anual 2023 da CBS Previdência

Já está no ar o Relatório Anual 2023 da CBS Previdência. Nele, você encontra os principais resultados alcançados e os projetos que desenvolvemos ao longo do ano. Com linguagem simples, o documento apresenta detalhes sobre as iniciativas que realizamos para atingir os objetivos definidos no planejamento estratégico e para ajudar a fomentar a importância de […]

LER ARTIGO

Não deixe passar essa oportunidade

Aproveite o recebimento do abono para investir no seu futuro. Ao colocar uma parte do valor recebido no seu plano de previdência complementar, você: – Aumenta o seu saldo – Ganha um desconto no IR Quem faz a declaração completa do Imposto de Renda pode deduzir dos rendimentos tributáveis anuais as suas contribuições para a […]

LER ARTIGO