Fale conosco Adesão Login
X

Use seus dados para acessar

Esqueci minha senha

Marido e mulher podem receber benefício de valor mínimo da Previdência

Os critérios de aferição da miserabilidade, para efeito de concessão de benefícios da Previdência Social não podem estar restritos ao fixado em lei, que é o da renda mensal familiar per capita inferior a ¼ do salário mínimo. O entendimento é da Turma Nacional de Uniformização da Jurisprudência dos Juizados Especiais Federais, que por unanimidade conheceu e deu provimento a pedido de uniformização no qual a autora, com idade de 72 anos, teve seu pedido de benefício negado pelo INSS, pelo fato do marido – de 77 anos – já ser beneficiário da Previdência Social. A Turma determinou que o INSS conceda à autora o benefício assistencial requerido.

O pedido havia sido negado pelo Turma Recursal do Tocantins, sob a argumentação de que a autora não preenche todos os requisitos legalmente exigidos para a concessão do benefício previdenciário, uma vez que a renda mensal per capita familiar extrapola o limite de ¼ do salário mínimo. Contra decisão da Turma Recursal, a autora interpôs pedido de uniformização à Turma Nacional, apontando divergência entre aquela decisão e o entendimento da Turma Recursal do  Paraná, que reconheceu a possibilidade de concessão de aposentadoria, considerando que a condição de miserabilidade do postulante pode ser comprovada por outros meios, além do critério estabelecido no art. 20, da Lei 8.742/93.

O relator do processo, juiz Marcos Roberto Araújo dos Santos, entendeu que a decisão recorrida deixou de considerar que, no caso do idoso – ante a disposição contida no parágrafo único, do art. 34, da Lei nº 10.741/03 – é necessário excluir da renda familiar, para efeito de aferição da renda per capita, aquela proveniente do membro da família que, contando com mais de 65 anos de idade, receba benefício de valor mínimo, seja ele de natureza previdenciária ou assistencial. Portanto, a renda da autora é considerada  inexistente.

O voto do relator também foi fundamentado na jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça que também considera que o preceito contido na Lei nº 8.742/93 não é o único critério válido para comprovar a condição de miserabilidade preceituada no artigo 203, V, da Constituição Federal. “A renda familiar per capita inferior a 1/4 do salário-mínimo trata-se de um valor limite, devendo servir de padrão para a aferição da necessidade, sem contudo, impedir que o magistrado observe outros fatores que possam aferí-la”, afirma o juiz.

A sessão de julgamento da TNU foi realizada no dia 3 de setembro.

 
 

Fonte:Expresso da Notícia.

Notícias Recentes

Ação Solidária RS: sua contribuição fez a diferença!

Graças à generosidade de cada um dos colaboradores da CSN e dos aposentados e pensionistas da CBS Previdência, conseguimos arrecadar R$ 269.195,60 mil. Para potencializar ainda mais esta iniciativa, a CSN decidiu não apenas igualar, mas mais do que dobrar o valor doado, resultando em um montante total de R$ 900.100,00 mil. O recurso arrecadado […]

LER ARTIGO

Ação Solidária: sua doação em dobro

O Estado do Rio Grande do Sul enfrenta uma situação de calamidade pública que está mobilizando todo o País. A CSN está empreendendo diversas medidas para ajudar a população local. Se você quiser fazer parte desta rede solidária, poderá contribuir via PIX para a Fundação CSN. Para potencializar ainda mais esta iniciativa, a CSN irá […]

LER ARTIGO

Confira o Relatório Anual 2023 da CBS Previdência

Já está no ar o Relatório Anual 2023 da CBS Previdência. Nele, você encontra os principais resultados alcançados e os projetos que desenvolvemos ao longo do ano. Com linguagem simples, o documento apresenta detalhes sobre as iniciativas que realizamos para atingir os objetivos definidos no planejamento estratégico e para ajudar a fomentar a importância de […]

LER ARTIGO

Não deixe passar essa oportunidade

Aproveite o recebimento do abono para investir no seu futuro. Ao colocar uma parte do valor recebido no seu plano de previdência complementar, você: – Aumenta o seu saldo – Ganha um desconto no IR Quem faz a declaração completa do Imposto de Renda pode deduzir dos rendimentos tributáveis anuais as suas contribuições para a […]

LER ARTIGO