Fale conosco Adesão Login
X

Use seus dados para acessar

Esqueci minha senha

Sem plano B para o mínimo

Por ordem da presidente Dilma Rousseff e do núcleo político do Palácio do Planalto, os ministros saíram em campo desde ontem para monitorar dissidências e amarrar o apoio de seus partidos para a votação da proposta de R$545 para o salário mínimo prevista para amanhã. Na reunião de coordenação, realizada no Planalto pela manhã, o governo reafirmou a disposição de votar o projeto de lei que mantém a atual política do salário mínimo e o fixa em R$545 para este ano.
Dilma mandou avisar também que o governo não trabalha com um plano B, ou seja, um valor acima de R$545, como os R$560 que querem as centrais sindicais.
O Planalto iniciou ali um esforço concentrado, mobilizando seus ministros, para tentar convencer a base de que sua proposta é a melhor neste momento. Hoje à tarde, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, irá à Comissão Geral da Câmara, em plenário, para apresentar os argumentos do Palácio. Por volta de meio-dia também hoje, o ministro de Relações Institucionais, Luiz Sérgio, e o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza, reúnem-se com parlamentares aliados para ver a tendência de votos e tentar demover os rebeldes.
Luiz Sérgio disse que o governo não trabalha com um plano B – como a possibilidade de reajuste para R$560, desejo de alguns líderes. O ministro apelou até mesmo ao patriotismo da base para exigir fidelidade:
– Acreditamos que os aliados não faltarão, acima de tudo, ao país.
– Temos uma relação de confiança com os partidos que compõem a base. O governo confia nele – disse o ministro das Relações Institucionais, admitindo, no entanto, que a tarefa é difícil:
– Não é uma luta fácil, mas estamos confiantes de que a maioria dos partidos entende que esse projeto está dando certo.
O vice-presidente Michel Temer disse ontem à noite que o governo trabalha com índice de 4,5% para a correção da tabela do Imposto de Renda para Pessoa Física (IRPF), depois da votação do mínimo:
– A tabela é 4,5%. Logo que aprovar o salário mínimo, imediatamente será feita a correção em 4,5%.
Discussão do IR, só após votação
Temer disse que não há a menor possibilidade de ir além dos R$545.
Luiz Sérgio afirmou que a correção da tabela do IR é possível, mas só será analisada depois da votação do mínimo, como já havia sido anunciado por Mantega.
O ministro evitou condicionar uma aprovação à outra, mas deixou claro que esse assunto só será discutido depois que a base aprovar o reajuste do salário mínimo nos moldes pretendidos pelo governo:
– A correção da tabela do IR é possível. Evidentemente será debatida tão logo superemos a matéria relativa ao mínimo. Cada dia com sua agonia.
O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza, avaliou que vários partidos da base estão decidindo apoiar o projeto do Planalto.
– Da semana passada até hoje aumentou o apoio aos R$545. PT, PMDB, PR e PTB já estão bastante decididos – disse Vaccarezza, que completou:
– O que vamos exigir é que se vote os R$545.  (O Globo)

Fonte:www.assprevisite.com.br

Notícias Recentes

Ação Solidária: sua doação em dobro

O Estado do Rio Grande do Sul enfrenta uma situação de calamidade pública que está mobilizando todo o País. A CSN está empreendendo diversas medidas para ajudar a população local. Se você quiser fazer parte desta rede solidária, poderá contribuir via PIX para a Fundação CSN. Para potencializar ainda mais esta iniciativa, a CSN irá […]

LER ARTIGO

Confira o Relatório Anual 2023 da CBS Previdência

Já está no ar o Relatório Anual 2023 da CBS Previdência. Nele, você encontra os principais resultados alcançados e os projetos que desenvolvemos ao longo do ano. Com linguagem simples, o documento apresenta detalhes sobre as iniciativas que realizamos para atingir os objetivos definidos no planejamento estratégico e para ajudar a fomentar a importância de […]

LER ARTIGO

Não deixe passar essa oportunidade

Aproveite o recebimento do abono para investir no seu futuro. Ao colocar uma parte do valor recebido no seu plano de previdência complementar, você: – Aumenta o seu saldo – Ganha um desconto no IR Quem faz a declaração completa do Imposto de Renda pode deduzir dos rendimentos tributáveis anuais as suas contribuições para a […]

LER ARTIGO

Nova corretora da CBS Previdência

Informamos que, a partir de 01/04/2024, a Fibra Corretora passará a ser a corretora da CBS Previdência. Isso significa que a Fibra ficará responsável pelos seguros que estão em vigor, pelas renovações e pelas novas contratações. Em Volta Redonda, o atendimento presencial continuará no mesmo local. Sempre que precisar, entre em contato com a Fibra […]

LER ARTIGO